sábado, 27 de março de 2010

The Imaginarium of Dr. Parnassus, de Terry Gilliam


Dr. Parnassus (Christopher Plummer) um contador de histórias com o dom de manipular a imaginação dos outros, ficou imortal graças a um pacto que fez com o diabo (Tom Waits). Em troca ele prometeu oferecer a sua filha (Lily Cole) quando esta completasse 16 anos. Agora que ela está prestes a chegar a essa idade, Parnassus e o resto do staff do seu espectáculo de rua (a filha, um anão e um jovem orfão) vão tentar tudo para enganar o mafarrico e assim salvar a sua filha. Para os ajudar contam ainda com o misterioso Tony (Heath Ledger) que eles resgatam de uma morte anunciada.


Quando faleceu em Janeiro de 2008, Heath Ledger encontrava-se em pausa das gravações deste filme e como era de esperar o seu desaparecimento foi um grande choque para todos. Recorrendo à sua fértil imaginação, Terry Gilliam convidou 3 amigos de Heath para completar o filme. Foi assim que surgiram Johnny Depp, Jude Law e Colin Farrel, que interpretam Tony quando este está dentro do imaginarium.

Gilliam disse que este era o filme mais pessoal que já fez e mais uma vez toda a sua imaginação vem ao de cima na forma do Dr. Parnassus. Recordo que era Terry Gilliam que fazia as animações dos Monty Python (quem não se lembra do pé que caia do céu para esmagar tudo o que encontrasse?) e aqui mais uma vez se destaca o sua apurada estética visual.

O elenco brilha a grande altura (os actores/actrizes dos filmes de Gilliam costumam ser nomeados aos principais prémios, incluindo Oscars - Mercedes Ruhel ganhou um Oscar por Fisher King que também deu a nomeação a Robin Williams, Brad Pitt nomeado por 12 Monkeys) com destaque óbvio para o ultimo papel de Heath Ledger, a provar mais uma vez que já era um excelente actor.

NOTA: 8/10


7 comentários:

andreafonso disse...

a verdadeira história do pecado capital!

Luís A. disse...

Melhor que os irmãos Grimm? é que esse desiludiu-me bastante! Prefiro o Gilliam de Brazil ou FLLV

João Bizarro disse...

Bem melhor que "Os Irmãos Grimm".

Nekas disse...

Eu concordo com a tua crítica e com a tua pontuação, aliás, esta última foi igual à minha!

O senão de Parnassus é mesmo a linha narrativa que não acompanha a beleza estética e criativa do filme!

Abraço
Cinema as my World

Tiago Ramos disse...

É um filme interessante, que prima por um imaginário muito bem recriado de uma forma humilde e até ingénua. O elenco é excelente! :)

João Bizarro disse...

Os filmes do Gillian não são fáceis. São por vezes até muito complexos o que não quer dizer que não sejam bons.

Manuela Coelho disse...

Ainda não fui ver, mas a expectativa é grande.