quinta-feira, 23 de novembro de 2017

The Sinner

À falta de filmes extremamente bons, são as séries que vão tomando conta dos meus tempos dedicados ao visionamento de cenas.

E este The Sinner, produzido e distribuido pela Netflix, é uma agradável surpresa.

Tem muita Jessica Biel e, principalmente, muitíssimo Bill Pullman, num registo que não via nele desde Lost Highway (David Lynch, 1997) e The End of Violence (Wim Wenders, 1997), ambos há 20 anos.

Jessica Biel é uma mãe que, sem saber porquê, assassina um jovem numa praia, à vista de todos.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Stranger Things 2


O que dizer de uma série em que a segunda temporada supera em qualidade a primeira? 
Stranger Things continua excelente e quando se achava que não podia fazer melhor, do que de tão bom tinha sido feito, na primeira temporada, eis que somos surpreendidos.
Sendo uma série passada nos anos 80 (propositadamente) as referências não podiam deixar de estar presentes, assim como aconteceu na 1ª parte da série. Aqui ficam alguns exemplos:

E.T.

 Ghostbusters

Indiana Jones

The Thing

Filmes de John Hughes

Poltergeist

Stand By Me

The Goonies
A presença de Sean Astin, o Mikey desse filme icónico dos anos 80 que no episódio 5 cita essa sua personagem, quando era criança:“Yeah? What’s at the X? Pirate treasure?"

The Warriors

Close Encounters of the Third Kind


sexta-feira, 3 de novembro de 2017

The Deuce


Terminou a 1ª temporada de uma grande série.
Criada por David Simon (The Wire​ e Treme​) e George Pelecanos (produtor de The Wire, Treme e The Pacific​), e com James Franco e Maggie Gyllenhal nos principais papeis.
Passa-se nos anos 70 e mostra a ascensão da indústria pornográfica em New York, passando pela prostitutas e os seus chulos e aqueles que de uma maneira ou de outra faziam negócio ou viveram à volta disso e, inevitavelmente, ao aparecimento dos primeiros casos de SIDA. 
Obrigatório ver.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Wind River, de Taylor Sheridan


Reserva de Nativos Americanos, no estado do Wyoming, Estados Unidos da América. 
O corpo de uma adolescente índia é encontrado por Cory Lambert (Jeremy Renner) um caçador e batedor local e é chamada à região uma jovem agente do FBI, Jane Banner (Elizabeth Olsen. Não estando à espera de um caso tão complicado, Jane não ia preparada para o isolamento e clima gelado da região e terá de contar com a ajuda de Cory, como guia, para fazer frente aos contratempos que lhe irão aparecer. 
Taylor Sheridan é um actor/argumentista, que entrou, por exemplo, na série Sons of Anarchy, onde fazia o xerife David Hale e escreveu dois dos melhores filmes dos últimos tempos, Sicário (2015), de Denis Villeneuve e Hell or High Water (2016), de David Mackenzie e realiza aqui o seu segundo filme, depois do, não tão bem conseguido Vile (2011). 

Como algumas cenas de acção e suspense bem conseguidas, como aquela em que, num flashback, ficamos a saber o que aconteceu e uma direcção de fotografia, a cargo de Ben Richardson, que consegue captar excelentes planos num território onde a neve e o gelo predominam. 
Não sendo tão bom quanto os outros filmes que escreveu, Wind River não deixa de ser um filme a ver com atenção e volta a confirmar Taylor Sheridan como um dos nomes a seguir com atenção nos próximos tempos, ele que já tem uma nomeação para um Oscar, precisamente pelo argumento de Hell or High Water. 


quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Ozark


Permitam-me que interrompa o marasmo a que este blog foi submetido, nos últimos tempos para falar de uma das melhores séries do momento. 
Ozark é a série que mais me aproximou de Breaking Bad. Não a nível de qualidade, porque ainda está muito longe, mas segue um homem que, num momento de desespero, e sem nada a perder, tem de se safar e, principalmente, à sua família. 
O argumento e o elenco também são de peso e a coisa vai melhorando (ou piorando) de episódio para episódio. 
Dois actores que se destacam dos demais: Jason Butler Harner e Peter Mullen. E temos Jason Bateman e Laura Liney nos papéis principais.


sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Stranger Things - 2ª temporada

Está quase a chegar a segunda temporada de uma das melhores séries do momento. E pelo trailer dá para ver que deverá ser tão grandiosa como a primeira temporada.
Dia 27 teremos a resposta.

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Get Out, de Jordan Peele


Chris (Daniel Kaluuya), um fotógrafo afro-americano, vai passar uns dias à casa de família da sua namorada caucasiana, Rose (Allison Williams). A casa fica no meio do nada e nela vivem os pais de Rose (Bradley Whitford e Catherine Keener), o irmão (Caleb Landry Jones), uma criada (Betty Gabriel) e um jardineiro (Marcus Henderson), ambos afro-americanos. Chris nem estranha a excessiva condescendência com que os pais tratam a relação inter-racial da filha, mas com o passar dos dias, algumas descobertas inesperadas levam-no a uma verdade que não estaria à espera.Uma abordagem ao género “terror” um pouco diferente do que estamos habituados e talvez por isso o filme tenha tido bastante aceitação por parte do público, ainda por mais pegando num flagelo que ainda está muito presente na nossa sociedade, que é o racismo. Tensão racial é um excelente tema para reflectir o horror dos nossos tempos. Ainda assim, é no toque quase satírico que Peele alfineta com mais intensidade uma sociedade ainda movida por retrocessos. Um filme de terror, para ser bom nunca precisou de grande orçamento e Jordan Peele prova isso mesmo, nesta sua estreia na realização.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

T2, de Danny Boyle


Em 1996, Danny Boyle apresentava-nos o seu segundo filme. Depois do sucesso de Pequenos Crimes Entre Amigos, Boyle adapta ao cinema a obra de Irvine Welsh, Trainspotting. A história de quatro viciados em heroína, nas ruas de Edinburgh e mostrava-nos a forma como a droga tinha mais danos colaterais que muitos panfletos anti-droga poderiam mostrar. 
O sucesso foi estrondoso e logo passou a filme de culto e permanece como o melhor de Danny Boyle até ao momento, apesar de já ter ganho Oscars e de já ter feito outros filmes muito apreciados pelos festivais e prémios do mundo do cinema. Além disso deu a conhecer ao mundo actores como Ewan McGregor e Robert Carlisle. 

Renton (Ewan McGregor) regressa a Edimburgo para fazer as pazes com dois dos três amigos que roubou no final do primeiro Trainspotting. Spud (Ewen Bremner) não conseguiu largar o seu vício de heroína e Simon, aka Sick Boy (Jonny Lee Miller), controla um pub em decadência e vive de pequenos golpes para sustentar sua namorada, a búlgara Veronica (Anjela Nedyalkova). Begbie (Robert Carlyle), foge da prisão e quando descobre que Renton está de volta tenta logo perceber onde ele anda para se vingar. 

Com Boyle e os actores de 1996 regressa também o argumentista John Hodge, mantendo o mesmo toque de humor negro e refinado do original, não deixando de lado a ambientação dos protagonistas aos avanços tecnológicos, como os telemóveis ou as redes sociais. Os fãs do primeiro filme e mesmo os que não o viram serão presenteados com flashbacks que fazem ligação com o presente. 
Kelly MacDonald, a Diane do primeiro filme, tem apenas um cameo como advogada que vai safar Renton e Sick Boy duma alhada em que se meteram. Não sendo tão bom quanto o de 1996, T2 agradará aos mais nostálgicos e dá sempre gozo saber onde chegou (e se chegou) aquela malta que conhecemos há 20 anos. Como não podia deixar de ser, destaco a banda sonora, que desta vez traz nomes como The Clash, Blondie, Queen, Wolf Alice, The Prodigy e, claro Lust for Life.

terça-feira, 13 de junho de 2017

TORRES - Skim

Quem tem música nova é a menina Mackenzie Scott, mais conhecida, no mundo da música como TORRES. O video, um bocado picante, é realizado por Ashley Connor.

Bjork, video novo

Miss cubinho de açúcar tem video novo. 
A música já é velha, fazia parte do alinhamento do álbum Vulnicura, de 2015.

sexta-feira, 24 de março de 2017

Um ano, Uma música

Um ano, uma música.
Esta foi bem mais difícil. Se voltasse a fazer, 90% seria diferente.
A playlist vem depois.




terça-feira, 21 de março de 2017

Um ano, Um filme



O desafio é fazer a lista dos melhores filmes dos anos que já vivi. Fazia já até 2067 mas ainda não não vi os melhores filmes dos anos que aí vêm.
Achei a ideia engraçada quando ouvi o álbum conceptual que comemora os 50 anos de Stephin Merrit, dos Magnetic Fields - 50 Song Memoir. Depois alguns cinéfilos pegaram na ideia (não sei se influenciados pelo mesmo disco) e adaptaram-na ao cinema. 
Aqui vai a minha contribuição: 

1968 – Once Upon a Time in West
1969 - Z - A Orgia do Poder
1970 – MASH
1971 - Laranja Mecânica
1972 – The Godfather
1973 – A Golpada
1974 – The Godfather II
1975 – Jaws
1976 – Taxi Driver
1977 – Star Wars : Episode IV
1978 – The Deer Hunter
1979 - Apocalypse Now
1980 – Raging Bull
1981 – Raiders of the Lost Ark
1982 – Blade Runner
1983 – Scarface
1984 - Once Upon a Time in America
1985 - The Goonies
1986 – Platoon
1987 – Full Metal Jacket
1988 - Die Hard
1989 – Indiana Jones and the Last Cruzade
1990 –Miller’s Crossing
1991 – JFK
1992 - The Crying Game
1993 – Schindler’s List
1994 – Pulp Fiction
1995 – The Usual Suspects
1996 – Fargo
1997 – L.A. Confidential
1998 – The Big Lebowski
1999 – Eyes Wide Shut
2000 – Snatch
2001 – Mullholland Drive
2002 – Cidade de Deus
2003 – Kill Bill
2004 – Man on Fire
2005 – A History of Violence
2006 – Pan’s Labyrinth
2007 – There Will be Blood
2008 – The Dark Knight
2009 – Inglorious Basterds
2010 – Ang-ma-reul bo-at-da (I Saw the Devil)
2011 – Super 8
2012 – The Hunt
2013 – The Wolf of Wall Street
2014 – Boyhood
2015 - Mad Max - Fury Road
2016 – Hell or High Water
to be continued…

segunda-feira, 20 de março de 2017

Metric, tema novo

Quase 2 anos depois de Pagans in Vegas, a banda de Emily Haines  aparece com um tema novo.
Espero que seja o mote para um novo disco...

quarta-feira, 8 de março de 2017

Gold, de Stephen Gaghan

Um prospector de ouro, à procura do seu golpe de sorte, junta-se a um geólogo e penetram na selva da Indonésia à procura daquele metal precioso. 
Desde cedo percebemos que Gold tenta ser The Wolf of Wall Street, mas nem Kenny Wells tem o charme de Jordan Belfort, nem Stephen Gaghan é Martin Scorsese.
Depois de Dalas Buyers Club, Matthew McConaughey volta a transformar-se, desta vez ficando calvo e gordo, num desempenho corajoso não destoando das suas anteriores boas interpretações.
Destaque ainda para a boa banda sonora.

sexta-feira, 3 de março de 2017

Temples - Volcano



Vê hoje a luz do dia o segundo álbum dos ingleses Temples. 3 anos depois do excelente Sun Structures, regressam com Volcano, um dos discos mais aguardados deste primeiro trimestre de 2017.
Já está em escuta nas principais plataformas: