quarta-feira, 29 de outubro de 2008

W., de Oliver Stone


Oliver Stone volta ao seu melhor nível com este biopic do ainda presidente dos Estados Unidos, George W. Bush.
W. retrata politica e humanamente um dos mais polémicos presidentes americanos, mas aqui Stone larga a bandeira militante (ele que é anti-Bush) para nos dar uma imagem que desconhecíamos deste Bush - "Vamos lá tentar perceber o gajo..."!
O filme foca principalmente um dos aspectos mais marcantes da administração Bush (convencer o mundo que se devia atacar o Iraque), onde W. rodeado de personagens sinistras (Dick Cheney, Donald Rumsfeld, Condoleezza Rice) é ele próprio manipulado?
Manipulado? Mas ele não é o presidente do mais poderoso país do Mundo?!?!? Pois...

Notável a interpretação camaleónica de Josh Brolin, que se transforma completamente em W. Bush, acompanhado por secundários de grande nível como Richard Dreyfuss (faz hoje anos - parabéns) no papel de Dick Cheney!

Uma coisa é certa, saímos do filme com uma visão diferente daquele presidente. E podemos agradece-lo ao goonie Josh Brolin.

NOTA: 9/10


5 comentários:

Paulo Pereira disse...

Se fosse na NBA, dir-se-ia que Josh Brolin está "on fire".

Depois da incursão no universo particular dos irmãso Coen, cai-lhe no colo a composição do polémico Bush, e logo pelas mãos de um dos mais conceituados realizadores...

Devo ver o filme este fim-de-semana, aguardando com a expectativa bem alta pela hora de início.

ps: "Off-topic", é certo, mas já viste o documentário do Kusturica, sobre o Maradona? E se sim, o que achaste? É mais um que devo ver no fim-de-semana, caso arrenje um tempinho.

João Bizarro disse...

Paulo, ainda não vi o Maradona by Kusturica mas está para breve.

Fifeco disse...

Ainda bem que encontro alguém que partilha da minha opinião. Até agora todos consideram a fita simplesmente razoável... E sim, ficamos mesmo com outra opiniao do presidente. No entanto, tb nao se pode ser influenciado pelo filme. Afinal, quem é detentor da realidade? Os mass media? O cinema? Os docs??'

ABraço

João Bizarro disse...

Nem é esse o objectivo do Oliver Stone, uma vez que ele até é anti-Bush!

Fifeco disse...

SIm. Exactamente. Por isso é que ainda admiro mais a obra.