sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Son of Rambow, de Garth Jennings

Mais uma excelente comédia vinda do Reino Unido e que chaga a Portugal numa altura em que já saiu em DVD um pouco por essa Europa fora.
Son of Rambow passa-se nos anos 80, numa altura em que o VHS estava no auge e era o boom do pós-punk.
Will Proudfoot é um muido cuja familia pertence a uma seita religiosa o que o impede, entre outras coisas de ouvir rádio e ver televisão. É então que conhece um miúdo mal comportado (Lee Carter), que está constantemente a ser expulso das aulas.
Numa visita a casa de Lee, Will vê uma cópia pirata de First Blood (o 1º e melhor filme da série Rambo) e fica fascinado e como Lee Carter anda a fazer filmagens com a camara do irmão mais velho, Will tem a ideia de fazer uma sequela de First Blood com o filho do Rambo!
Uma panóplia de "efeitos especiais", cães voadores, actores internacionais e espantalhos malvados vão fazer tudo para impedir o sucesso dos nossos heróis e por em causa a sua amizade. Será que o Coronel Trautman e o filho de Rambo(w)* conseguem salvar a personagem outrora interpretada por Stalone?
Destaque também para a banda sonora com muitas bandas que fizeram furor nos 80's: The Cure, David Bowie, Siousxie and the Banshees, Depeche Mode, Blondie, Human League, entre outros.
Uma lufada de ar fresco no meio de tanta palha que estreia por ai!

NOTA: 8/10



* Os créditos finais devem ser vistos até ao fim. Lee Carter e Will Proudfoot explicam porque aparece o w no fim do Rambo!

4 comentários:

Dan disse...

Fiquei muito curioso! Se tiver a oportunidade vou ver se vejo este filme! :)

Cumprimentos!

João Bizarro disse...

Dan, é uma pequena maravilha!

Paulo Pereira disse...

Hilariante! Estava com ele debaixo de olho, desde que o Markl o destacou no seu blog, no Verão.

As comédias "made in" Inglaterra têm um sabor diferente, um humor mais adulto. Tal como o Hot Fuzz, este filme é uma pequena pérola.

Imperdível!

João Bizarro disse...

Também foi através do blogue do Markl que despertei para esta preciosidade.
Pelo título não ia lá.