sexta-feira, 21 de novembro de 2008

As outras faces de Daniel Craig


Roger Moore foi o único Bond de que gostei que não fez nada de jeito para lá do agente 007. Sean Connery foi talvez aquele que melhor esteve e Pierse Brosnan tem vindo a fazer coisas interessantes, como é o caso de Matador.
Daniel Craig já antes de estar ao serviço de Sua Magestade dava cartas na 7ª arte e pelo que se pode ver continua a dar.

Aguardemos então por Defiance. E esperemos que Edward Zwick esteja à altura de Glory e Blood Diamond.


7 comentários:

Luís disse...

Oh bizarro tem cuidado com os plágios...a tua sorte é seres do benfiquista:)

João Bizarro disse...

Hmmmmmmmm!!!

Desconfio que tu é que andas aqui a espiar!!! :D

Acho que o meu Wrestler foi 1º!!!

De qualquer maneira é sinal que temos bom gosto!

Luís disse...

acredita que foi uma coincidencia no contéudo, se fores vêr ha mtos mais blogues com o trailer...mas agora com o titulo do post...mas desta não te processo..

BENFICA!

Fernando Ribeiro disse...

Este filme promete realmente muito. Pessoalmente, gosto muito do trabalho de Edward Zwick, e espero que com este 'Defiance' volte ao seu grande nível. Pelo trailer, isso poderá mesmo estar para acontecer.

Abraço

João Bizarro disse...

HAHAHA.

A sério que só agora tomei atenção ao título do teu, Luis.
Pensei neste título mais pelo conteúdo que acabei por por, ou seja falar das carreiras destes actores para lá da personagem Bond.

Mas pronto. Deixo-te com os direitos de autor!!! ;)

Acabei de vir do Body of Lies. Gostei!

Paulo Pereira disse...

Muita curiosidade em relação ao filme. Segundo o que li, Daniel Craig fará um de 3 irmãos judeus, empenhados em ajudar outros refugiados da Grande Guerra.

Se isto, por si só, poderia dar um bom filme, com Edward Zwick aos comandos o filme poderá ascender ao estrelato.

Falaste, e bem, de dois dos grandes filmes deste realizador. Eu acrescentaria um outro, um dos meus predilectos, o Last Samurai.

Por tudo isso, venha de lá a estreia.

ps: O Body of Lies está com muito bom aspecto. Pelo menos, no trailer. Não vi o filme. Li o livro, à uns meses atrás, de um escritor que não conhecia mas que recomendo vivamente: David Ignatius. Felizmente que foi aproveitado o excelente material para cinema.
Para quem tiver curiosidade, o David Ignatius tem novo livro, acabadinho de chegar às bancas: Agentes da Inocência.

A temática é similar, passado no Médio Oriente, esse autêntico barril de pólvora.

ps2: Não me leves a mal a sugestão, mas este blogue poderia ter também sugestões de livros. Seria o complemento ideal às restantes formas culturais que abordas.

João Bizarro disse...

Fica a sugestão, Paulo.
Já tenho falado mas menos que de cinema e música, de facto.

E para quem é da área de biblioteca, como eu é uma falha importante.