segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Burn After Reading, de Joel e Ethan Coen


Não destruir depois de ver

E ao 10º mês chega-nos o filme parvo do ano.
E que saudades já eu tinha de um bom filme parvo e ninguém melhor que os Coen para nos abrilhantarem com o que de há melhor num filme parvo.

Destruir Depois de Ler é mais um hilariante filme destes dois irmãos, com os quais deve ser um gozo filmar ( adoraria assistir às filmagens de um filme dos gajos - às vezes lá vem um extrazinho no DVD mas coisa pouca) e se não está ao nível de Big Lebowski anda muito lá perto.

Após ter sido despedido, um ex-agente da CIA (John Malkovich) decide escrever as suas memórias documentando segredos do governo mas, durante as partilhas do divórcio, a sua ex-mulher (Tilda Swinton) rouba-lhe um disco com o único exemplar do manuscrito.
Por engano, esse mesmo disco cai nas mãos de dois empregados de um ginásio (Brad Pitt e Frances McDormand), um homem e uma mulher sem escrúpulos, que tencionam explorar ao máximo a sua descoberta, vendendo a informação de forma a poderem pagar uma cirurgia plástica para ela.
No meio disto há ainda um ex-agente da CIA (George Clooney), paranóico, viciado em jogging e louco por mulheres. Como Tilda Swinton e Frances McDormand são mulheres dá para imaginar a ligação...

Depois do registo mais sério que foi Este País não é Para Velhos, os Coen regressam à comédia coeniana tão apreciada por este escriba.
Brad Pitt, estreante no universo Coen está magistral na composição do seu idiota, mas os melhores diálogos do filme são entre o director da CIA (brilhante J.K. Simmons) e um dos seus oficiais (David Rasche).
A ver... e a rever.

NOTA: 9/10


11 comentários:

Fifeco disse...

Amanhã... É ja amanhã que o vou ver. Mal posso esperar.

Abraço

Hugo disse...

Pela sinopse, o elenco e seus comentários, deve ser muito engraçado.

Abraço

Luís disse...

ja estás adicionado joão:)
abraço glorioso

ps-tenho mesmo de vêr este filme

Pedro disse...

O filme, de facto, promete. Tenho q ir ver...e tempo para isso?
hehehe

PS: Alguem sabe explicar pq é q o filme Eagle's Eye foi traduzido para Olhos de Lince?!?!?!?!?!

João Bizarro disse...

Pois... comparar um gato com uma águia não cabe na cabeça de ninguém!

Americano disse...

Também já adicionei aos meus favoritos, mas tu e o luís desiludiram-me por não ter o meu filme preferido nos vossos melhores, até porque está a chegar aquela altura do ano de...

"I want to play a game..."

JIGSAW RULES!!!

Sou cinéfilo sem cura, mas poucos filmes me fazem vibrar como os Saw's. Vou atentamente rever os 4 (que já tenho em DVD) para depois ir ver o 5º ao cine com todas as peças no sítio...

Saudações benfiquistas!

João Bizarro disse...

Americano, gostei muito do primeiro, a ideia era boa e inovadora.
Os outros, embora não desgostando foram perdendo qualidade e tornando-se repetitivos.
A única curiosidade é saber que tipo de maquinetas eles vão inventar agora para "limpar o sebo" às vitimas!

Mas acho que há filmes de terror muito melhores.

Americano disse...

Eu acho que inovam sempre muito, e em termos de argumento é um labirinto que me fascina, acho que ainda há ali muita, muita coisa por esclarecer. As maquinetas é o que ligo menos, aliás por vezes acho demasiado violento, o "gore" já é uma imagem de marca da colectânea, mas espero que não se sobreponha à história. Naturalmente o primeiro teve mais impacto, mas por mim podem continuar além do 5º, apesar de já achar algo difícil...

João Bizarro disse...

Em relação ao Saw V, dizia isto a 5 de Agosto: http://cantinhodasartes.blogspot.com/2008/08/no-chega-j.html

Americano disse...

Pois, estás farto, é perfeitamente compreensível, mas acredita que para quem devora todos os pormenores do filme ainda espera muitas respostas, pelo que acredito que eles ainda façam o 6º, como previsto. O puzzle ainda não terminou, só espero é que o final da saga esteja pensado desde o início, e que não seja um último capítulo rebuscado apenas para vender.

O blog está excelente, muito completo, só acho que devias opinar mais sobre cada filme, podia aumentar o interesse.

João Bizarro disse...

Obrigado pelo elogio, americano.