quarta-feira, 24 de maio de 2006

A Formiguinha e a neve - toda a verdade


Outro dia, num almoço de familia eu e os meus irmão estivemos a relembrar esta história e os momentos em que ouviamos o disco juntos (é esta mesma capa).
Um dizia que a morte vinha no fim e levava a formiga livrando-a de todo aquele tormento. Outros diziam que não, que ela se safava. Eu estava mais inclinado para a 1ª hipotese.

Hoje lembrei-me de pesquisar e eis a verdadeira história:
(Atenção, as pessoas mais sensiveis não deverão ler o que se segue, é dramático demais)

Numa certa manhã de inverno uma formiga saía para o seu trabalho diário.
Já ia longe procurar comida quando um floco de neve caiu, prendendo o seu pézinho.
Aflita, vendo que ali poderia morrer de fome e frio, a formiga olhou para o Sol e pediu:
- Sol, tu que és tão forte, derreta a neve e desprenda o meu pézinho?

E o Sol, indiferente, respondeu:
- Mais forte que eu é o muro que me tapa.
Então a pobre formiguinha disse: - Muro, tu que és tão forte, que tampa o Sol, que derrete a neve, desprenda o meu pezinho?

E o muro rapidamente respondeu: - Mais forte que eu é o rato, que me rói.

A formiga, quase sem fôlego, perguntou: - Rato, tu que és tão forte, que rói o muro, que tapa o Sol, que derrete a neve, desprenda o meu pézinho?
E o rato falou bem rápido: - Mais forte que eu é o gato que me come.

A formiga então perguntou ao gato: - Tu que és tão forte, que come o rato, que rói o muro, que tapa o Sol, que derrete a neve, desprenda o meu pézinho?
O gato responde sem demora: - Mais forte que eu é o cão, que me persegue.

A formiguinha estava cansada e, mesmo assim, perguntou ao cão: - Tu que és tão forte, que persegue o gato, que come o rato, que rói o muro, que tapa o Sol, que derrete a neve, desprende o meu pézinho?
- Mais forte que eu é o homem, que me bate.

Pobre formiga! Quase sem força, perguntou ao homem: - Tu que és tão forte, que bate no cão, que persegue o gato, que come o rato, que rói o muro, que tapa o Sol, que derrete a neve, desprenda o meu pézinho?
O homem olhou para a formiga e respondeu: - Mais forte do que eu é a Morte que me mata.

Trêmula de medo, olhando para a Morte que se aproximava, a pobre formiguinha suplicou:
- Ó Morte, tu que és tão forte, que matas o homem, que bate no cão que persegue o gato que come o rato que rói o muro, que tapa o sol que derrete a neve, desprende meu pezinho.

E a Morte, impassível, respondeu:
- Mais forte do que eu é Deus, que me governa.


Quase morrendo, então a formiguinha rezou baixinho:
- Meu Deus, tu que és tão forte, que governas a morte, que mata o homem que bate no cão que persegue o gato que come o rato que rói o muro, que tapa o sol que derrete a neve, desprende meu pezinho.


E Deus, que ouve todas as preces pediu à primavera que chegasse com seu carro dourado triunfal enchendo de flores os campos e de luz os caminhos, e vendo que a formiga estava quase morrendo, levou-a para um lugar onde não há inverno e nem verão e onde as flores permanecem para sempre.
The end

10 comentários:

Anónimo disse...

Continuo a achar que a formiguinha morreu.
Mas a história é deliciosa e faz lembrar-te a tua infância, não é?

Luciano Almada disse...

Joao, isto é inacreditavel. o que vc descreveu no teu blog aconteceu na minha familia ontem. Eu e meus irmaos estávamos discutindo se a formiga morria ou nao. No final concordamos que ela bateu as botas, mas o danado do eufemismo impediu que nós, crianças na época, entendêssemos a mensagem.
Abraços

Anónimo disse...

Eu tinha essa história no meu livro de ciências da 3ª série, mas o final era diferente, a Formiga não morria. Ela terminava mais ou menos assim:
"Ó Deus, Tú que és tão forte...desprende o meu pezinho?
E Deus que houve todas as coisas tomou a pequenina formiga em seus braços e a libertou, dizendo:
- Tu és minha filha e eu jamais lhe abadonarei."
Mais ou menos assim.
O fato dela ter morrido como conta na história do Blog faz mais sentido, mas até hoje me faz chorar...

Tatiane Assunção...

Alessandra Neves Custódio disse...

Boa Tarde João Bizarro,

Por incrivel que pareça, ontem (12/09/2007)estava arrumando a minha estante e me deparo com os meus discos de vinil... comecei a ver as reliquias que lá contia...de repente me deparo exatamente com este disco.

Foi uma sessão nostalgia!!! Eu escutava este disco todos os dias... se eu fechar os meus olhos, consigo vizualizar meu irmão ouvindo ao meu lado e chorando toda vez que chegava no final.

Que saudade daqueles dias!!! Fico feliz que não foi só na minha infancia que este disco marcou!!!

Abraços, Alessandra Neves

João Bizarro disse...

Bons tempos...

Guilherme disse...

A historia é muito boa!!!
Quase chorei a primeira vez que li a historia!!!

T disse...

Meu Deusssssss....sempre amei essa história e hoje achei e ouvi, e fiquei pensando nisso. Infelizmente cheguei a conclusão que ela morreu sim. Eu não lembrava disso, ou tb não compreendi qdo criança, devido ao final "mascarado".
Alias histórias infantis são com frequência um belo dum filme de terror...rsrrs

Anónimo disse...

muito legal me faz lembrar da minha infacia.

Anónimo disse...

Concordo com a Tatiane... A formiguinha também me faz chorar até hoje. :(

Tatiana Pereira

emily disse...

vou fazer uma de a formiguinha e a neve ,e estou muito ansiosa ,mas não sei como posso fazer o muro.adorei essa históriae acho que a formiguinha e neve pro céu