quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2013

Beasts of the Southern Wild, de Benh Zeitlin


Hushpuppy (Quvenzhané Wallis) é uma jovem que vive com (ou pelo menos próximo) do pai (Dwight Henry), numa comunidade conhecida como "a banheira", situada do lado de lá das barragens do Louisiana. Apesar da vida miserável, esta está livre das maioria das preocupações do mundo moderno, com os dias a terminarem sempre com celebrações cheias de música e álcool. A vida aos olhos de Hushpuppy, é cheia de momentos serenos e de magia, e mesmo não sabendo onde está a sua mãe, somando à tendência para desaparecer por uns dias que o seu pai tem, ela parece feliz com esta sua estranha infância.
Só que alguns acontecimentos inesperados vão abalar esta "tranquilidade".


Uma das principais virtudes de Beasts of the Southern Wild - além de um desempenho absolutamente espantoso da miúda Quvenzhané Wallis, na altura com 6 anos - é a forma como mistura o real e o fantástico. Toda a nojice que rodeia a vida naquela comunidade juntamente com os animais pré-históricos, que ganham vida após o dilúvio que se abate sobre a região. Tudo acompanhado pela pela magnifica câmara de Zeitlin, que encontra beleza na ligação da luz com os detritos e relaciona os problemas pessoais de Hushpuppy com os acontecimentos de escala apocalíptica que se vão desenrolando à sua volta. Um dos grandes trabalhos de realização do ano.
Destaque final para a boa banda sonora que acompanha o filme.

NOTA: 8/10

Sem comentários: